Ventos do Sul participa de Curso de Técnicas Aeronáuticas – CATAR I

01/09/2011

O Grupo Escoteiro do Ar Ventos do Sul conta com a participação de adultos voluntários que trabalham na educação de jovens escoteiros e se engajam em diversas campanhas e eventos sociais.

Nos dias 20 e 21 de agosto, o grupo participou de um curso de Técnicas Aeronáuticas promovido pela Coordenadoria Regional da Modalidade do Ar da União dos Escoteiros do Brasil. O evento foi na Base Aérea de Santa Maria e teve como objetivo habilitar adultos voluntários e membros juvenis em técnicas aeronáuticas para aplicar em seus grupos de escoteiros.

Estiveram presentes todos os grupos escoteiros do Ar do Rio Grande do Sul, dentre eles, o Grupo de Escoteiro do Ar Ventos do Sul – AABB, que foi representado pelos chefes da Alcatéia, André Bertaso, Jairo Maso e Jéssica da Silva; e pelos chefes da Tropa Escoteira, Luis Persigo, Fernando Fabrício e Everton da Silva.

O GEAR Ventos do Sul, além das atividades básicas de escotismo, por ser da modalidade do Ar, procura desenvolver nos jovens o gosto pelo aeromodelismo, pelos planadores, helicópteros, aviões, aeronavegação, paraquedismo e pelos esportes aéreos, incentivando o culto pelas tradições da aviação. A sede do grupo está localizada à Rua Antunes Ribas, atrás do Ginásio da Assossiação Atlética do Banco do Brasil-AABB, e suas atividades acontecem todos os sábados das 14 às 17h.

SEJA UM ESCOTEIRO DO AR!!!!   VENHAM NOS VISITAR!!!

Anúncios

ESCOTISMO!!! Venha fazer parte desta aventura!!!

16/06/2011

O Grupo Escoteiro do Ar Ventos do Sul – AABB está com as inscrições abertas para jovens (sexo masculino ou feminino) na faixa etária de 18 a 25 anos, como também, para adultos voluntários de todas as idades, que queiram participar do Movimento Escoteiro.
Jovem!!! Para participar do movimento escoteiro não existe nenhuma lista de pré requisitos, basta você ter entre 7 e 20 anos, de acordo com sua faixa etária você participará das atividades de uma seção definida do Grupo Escoteiro.
E para você adulto que queira ser um Voluntário, basicamente há duas áreas de atuação em um grupo escoteiro: A técnica, onde aqueles que têm habilidades ou facilidades para atuar como educador de crianças e jovens, colaboram pondo em prática o programa escoteiro; e a administrativa, na qual atuam os adultos que apresentam habilidades para administração, finanças, serviços gerais.
Os adultos que atuam na ÁREA TÉCNICA são chamados escotistas (em alguns grupos há a figura do diretor técnico, o qual é um dirigente por não atuar diretamente com os jovens). São as seguintes funções em que um adulto pode se incorporar a um grupo escoteiro como escotista:
**Chefe de seção (Alcatéia de Lobinhos, Tropa Escoteira, Tropa Sênior e Clã Pioneiro)
**Assistente de chefe de seção
Os adultos que atuam na ÁREA ADMINISTRATIVA são chamados dirigentes. São as seguintes as funções em que um adulto pode se incorporar a um grupo escoteiro como dirigente:
**Membro da Diretoria (alguns cargos são eletivos para mandatos de dois anos, outros são criados pela própria diretoria e os seus membros nomeados por ela, varia de grupo para grupo).
**Membros da Comissão Fiscal (cargos eletivos para mandatos de dois anos)

**Membros de Comitês e comissões de trabalho
Transportes, comunicações, captação de recursos financeiros, etc..

Esperamos que você esteja preparado para uma vida repleta de coisas divertidas. Você vai aprender um monte de coisas com a natureza e ajudar a fazer um Mundo melhor.

Para mais informações você pode nos visitar em nossa sede na Rua Antunes Ribas nos fundo da AABB ou no blog: http://www.gearventosdosul.wordpress.com
Nossas atividades acontecem somente aos sábados das 14:00 às 17:00.


Ventos dos Sul participa de Mutirão Ecológico às margens do Arroio Itaquarinchim e adota área pública para fins de preservação ambiental.

16/06/2011

O Grupo Escoteiro do Ar Ventos do Sul-AABB 54°RS em parceria com o LEO Clube Santo Ângelo Centro-LD 4 e Departamento Municipal do Meio Ambiente-DEMAM, realizou um Mutirão Ecológico em uma Área de Preservação Permanente-APP, localizado às margens do Arroio Itaquarinchim, abaixo da ponte da Avenida Salgado Filho. Na ocasião, houve o plantio de 200 mudas de árvores nativas, colocada ainda uma placa identificadora de APP e uma limpeza do local. O local foi adotado pelo GEAR para fins de preservação ambiental, dentro do Programação Municipal de Adoção de Espaço Público. O evento esteve inserido na Programação da Semana Municipal do Meio Ambiente do município.


Ventos do Sul traz apresentação de cães treinados à Santo Ângelo

22/09/2010

Seguindo as comemorações alusivas aos 20 anos de atividade do Grupo Escoteiros do Ar Ventos do Sul – AABB ocorrerá no domingo, dia 26 de setembro, às 15 horas, na Praça Pinheiro Machado apresentação dos cães treinados pelo Canil Vento Divino da Base Aérea de Santa Maria, uma belíssima apresentação que encanta crianças e adultos.

O evento contará com a presença de 15 militares da Base Aérea de Santa Maria e cães da raça pastor alemão que são adestrados pela técnica adestramento sem conflito, técnica de ensino sem traumas aos animais. Recentemente o Canil foi sede do curso de busca e salvamento para cães utilizados por equipes de resgates, desenvolvido pela Organização Não-Governamental K-9 CREIXEL, da Espanha, em parceria com o Canil Vento Divino da Base Aérea de Santa Maria. A função da unidade junto a Força Aérea é de serviço de guarda e empregos táticos, além de busca e salvamento, e após o curso os cães estão aptos também para atuarem em situações de calamidade como terremotos, deslizamentos, desabamentos, incêndios, entre outras emergências.

É a primeira vez que o Canil Vento Divino se apresenta no município e isto só foi possível devido ao estreito relacionamento de escotismo que o Grupo Escoteiro do Ar Ventos do Sul mantém com a unidade da Força Aérea de Santa Maria, além da política de aproximação da Unidade Militar com a população brasileira, e de seu comandante Tenente-coronel aviador José Eduardo Ruppenthal.

“O evento visa aproximar os escoteiros do Ar de sua comunidade de atuação, como também divulgar o escotismo.” Afirmou Luis Augusto Persigo, diretor de escotismo do Grupo de Escoteiros do Ar Ventos do Sul.

O Grupo Escoteiro do Ar Ventos do Sul – AABB está com as inscrições abertas para todas as pessoas a partir de 6 anos interessadas em participar do movimento escoteiro. Para mais informações você pode visitá-los em sua sede na Rua Antunes Ribas nos fundo da AABB ou no blog http://www.gearventosdosul.wordpress.com.


Esquadrão Senta a Púa – Parte 3

12/08/2010

Hoje vamos falar da atividade/realização mais significante do esquadrão Senta a Púa.

Senta a Púa!: “Lançar-se sobre o inimigo com decisão, golpe de vista e vontade de aniquilá-lo”.

Eles tinham cerca de vinte anos quando decidiram entrar para a história.

No dia 06 de outubro de 1944, os integrantes do 1° Grupo de Aviação de Caça do Brasil desembarcaram no porto de Livorno, na Itália, para participar da Segunda Guerra Mundial integrando 350° Fighter Squadron.Faziam parte do grupo 466 pessoas: 49 pilotos e 417 homens de apoio que voluntariamente resolveram lutar contra o nazismo que se alastrava pelo continente europeu.

O 1° Grupo de Aviação de Caça Brasileiro foi um dos 3 únicos esquadrões não-americanos a receber a Medalha: “Citação Presidencial de Unidade”, por Extraordinários Heroísmo e Bravura em combate concedida, pelos Estados Unidos.

A façanha dos pilotos brasileiros que lutaram contra o nazismo na Itália  a 2° Grande Guerra está documentada no filme “ Senta a Pua”, do cineasta Erik de Castro.

Dos sobreviventes, vinte e três depoentes, entre pilotos, pessoal de apoio e pessoas ligadas ao 1° Grupo de Aviação de Caça contam, com a emoção guardada ao longo dos anos, suas experiências naquelas missões de bombardeios. São esses depoimentos que formam a essência do filme que teve lançamento nacional no dia 27 de abril de 2001.

Contribuição Senior Vinícius Gomes dos Santos, Patrulha Senta a Púa, GEAr Ventos do Sul.

Esquadrão Senta a Púa – Parte 2

29/07/2010

Conheça a seguir duas aeronaves clássicas que marcaram a história do esquadrão Senta a Púa.

P-47D, veterano da Segunda Guerra Mundial

Pode-se afirmar que o Republic P-47D Thunderbolt foi o vetor mais importante na formação dos primeiros pilotos de caça da FAB. Durante a Segunda Guerra onde um pequeno grupo de pilotos e especialistas, todos voluntários, foram treinar em bases da USAAF nos EUA onde conheceram o mais robusto e pesado dos caças monomotores em atividade. Enviados para o MTO, Itália, acumularam preciosa experiência em combate no Thunderbolt. Mais tarde sendo trazido para o Brasil.

F-5E Tiger II

Os F-5 E brasileiros tornaram-se mundialmente célebres durante a Guerra das Malvinas, quando interceptaram um bombardeiro Vulcan inglês que entrara em nosso espaço aéreo. Executando missões de Interceptação e Ataque ao Solo, o F-5 E é, juntamente com o Mirage 2000, a primeira linha de defesa de nosso espaço aéreo.

A Força Aérea Brasileira definiu que era necessária a modernização de seus aviões F-5E. A Embraer, principal contratada, e a Aeroeletrônica, subsidiária da israelense Elbit, garantem o domínio brasileiro sobre as tecnologias críticas do projeto, isto permitirá a integração de novos softwares e armamentos, além de assegurar o sigilo sobre características vitais do sistema de armas. A solução foi de longe o mais moderno e adequado programa de atualização para o F-5E/F. Ela inclui a última tecnologia disponível, com a capacidade técnica de ambas empresas para desenvolver a solução certa para os cenários operacional e orçamentário da Força Aérea Brasileira.

Contribuição Senior Lucas Ribeiro Diaz, Patrulha Senta a Púa, GEAr Ventos do Sul.

Esquadrão Senta a Púa – Parte 1

22/07/2010

O 1º Grupo de Aviação de Caça na Itália, 1944-1945

O 1ºGpAvCa, Grupo de Aviação de Caça, foi formado em 18 de dezembro de 1943, composto por pilotos da FAB, voluntários. Seu Oficial Comandante foi o Ten.-Cel. -Av. Nero Moura.
O Grupo tinha um efetivo de 350 homens, incluindo 43 pilotos, e foi enviado ao Panamá para ser treinado como unidade de caça pela USAAF, uma vez que seus pilotos já tinham experiência de vôo. No dia 11 de maio de 1944, o Grupo foi declarado operacional e passou a operar de forma independente nas missões de proteção à Zona do Canal. Em 22 de junho, o Grupo foi enviado aos EUA para um curso de conversão operacional no Republic P-47D Thunderbolt, avião que iria equipar o Grupo. O 1ºGpAvCa embarcou para a Itália em 19 de setembro de 1944, chegando em Livorno no dia 6 de outubro. Passou então a fazer parte do 350th Fighter Group USAAF, unidade formada em 1º de outubro de 1942 na Inglaterra.

Símbolo do 1º Grupo de Aviação de Caça

O símbolo do 1ºGpAvCa O símbolo (ou “bolacha”) do 1ºGpAvCa foi idealizado pelos Ten.-Av. Rui Moreira Lima, Ten.-Av. José Rebelo Meira de Vasconcelos, Ten.-Av. Lima Mendes e pelo Cap.-Av. Fortunato C. de Oliveira, e desenhado por este último, quando do deslocamento do Grupo para a Itália, a bordo do navio transporte UST Colombie. Sua

composição pode ser descrita, conforme as palavras do próprio autor, como segue: A moldura auriverde simboliza o Brasil; O campo rubro sobre o qual se situa o avestruz guerreiro representa o céu de guerra onde combatiam os pilotos de caça; A parte inferior, onde está pousada a figura principal, são as nuvens brancas, o chão do aviador; O escudo azul com a constelação do Cruzeiro do Sul é o símbolo usual que caracteriza as forças armadas do Brasil; O avestruz

representa o piloto de caça brasileiro, tendo como inspiração a fisionomia do Ten.-Av. Lima Mendes, com seu perfil aquilino, e ainda o estômago dos veteranos do 1ºGpAvCa; O quepe branco caracteriza mais nitidamente a sua nacionalidade (parte do uniforme da FAB, à época); A arma empunhada pelo avestruz é a representação do poder de fogo do P-47, com suas oito metralhadoras .50; O dístico “Senta a Pua!” é o grito de guerra do 1ºGpAvCa; O risco, à direita, que é encimado pela explosão de um obus, foi acrescentado posteriormente, quando o 1ºGpAvCa entrou em

combate, e representa a incessante e certeira ação da artilharia antiaérea inimiga que fustigava os caçadores no teatro italiano (tal adição só apareceu nas aeronaves recebidas como reposição por perdas). O uso de um avestruz como símbolo dos pilotos de caça brasileiros remonta ao início da década de 40, quando pilotos brasileiros eram enviados aos Estados Unidos para transladarem, por via aérea, as inúmeras aeronaves adquiridas pelo Brasil, tanto de combate

como de treinamento. A estada naquele país trouxe aos pilotos novidades quanto aos hábitos alimentares: feijão açucarado (“baked beans”), ovos e leite em pó, dentre outros. O então Cel.-Av. Geraldo Guia de Aquino comparou-os a um bando de avestruzes e o apelido pegou. O grito de guerra “Senta a Pua!” foi sugerido pelo então Ten.-Av. Rui, o qual ouvira-a do então Cap.-Av. Firmino Alves de Araujo, na Base Aérea de Salvador; era uma expressão que concitava os

companheiros e subordinados a cumprirem rapidamente as missões e ordens que dele recebiam. Ficou sendo, para a FAB, o equivalente ao “Tally-Ho!” britânico e ao “A la chasse!” dos franceses.

Em ação!

Os pilotos brasileiros voaram inicialmente, a partir de 31 de outubro de 1944, como elementos de esquadrilhas dos esquadrões norte-americanos do 350th FG. A partir do dia 11 de novembro, o Grupo passou a montar suas próprias operações, voando a partir de sua base em Tarquinia, usando o indicativo de chamada Jambock. Pilotos das esquadrilhas Verde, Vermelha e Azul. O Grupo era dividido em quatro esquadrilhas, Vermelha, Amarela, Azul e Verde.

Cada esquadrilha era composta por 12 pilotos aproximadamente, os quais voavam em conjunto desde o seu treinamento no Panamá. Um piloto usava costumeiramente uma “echarpe” nas cores de sua esquadrilha. O comandante do Grupo e alguns outros oficiais não eram ligados a qualquer esquadrilha

Os Resultados

O 1ºGpAvCa voou um total de 445 missões, 2.550 missões individuais e 5.465 horas de vôo em combate, de 11 de novembro de 1944 a 4 de maio de 1945. O “XXII Tactical Air Command” reconheceu a eficiência exibida pelo Grupo, atestando que, no período entre 6 e 29 de abril de 1945, ele voou apenas 5% do total de missões efetuadas por todos os

grupos sob seu controle, porém destruiu 85% dos depósitos de munições, 36% dos depósitos de combustível, 28% das pontes (19% danificadas), 15% dos veículos motorizados (13% danificados) e 10% dos veículos hipomóveis (10% danificados). Os feitos do 1ºGpAvCa durante a Campanha da Itália foram ainda mais enaltecidos no dia 22 de abril de 1986. Nesse dia o Grupo recebeu, das mãos do Sr. Embaixador dos EUA no Brasil, acompanhado do Secretário da Força

Aérea dos EUA, a Presidential Unit Citation (Air Force), concedida pelo governo norte-americano. É para nós motivo de orgulho sabermos que, à parte outras poucas unidades da USAF, apenas o 1ºGpAvCa e duas unidades da Royal

Australian Air Force – os Esquadrões 2 e 13 – foram agraciadas com tal comenda. “Seus feitos permanecerão vivos enquanto os homens voarem. Suas vitórias, no campo de batalha, estarão em nossos corações enquanto os homens honrarem o heroísmo e a coragem.”

Contribuição Senior Felippe Terra, Patrulha Senta a Púa, GEAr Ventos do Sul.